Viciado dos 13 aos 18 anos, ex-traficante conta como largou as drogas e se tornou pastor

Viciado dos 13 aos 18 anos, ex-traficante conta como largou as drogas e se tornou pastor

"Onde abundou o pecado, superabundou a graça. Hoje eu posso dizer que eu vivo uma vida maravilhosa", afirma Leonardo

Leia tudo

"Onde abundou o pecado, superabundou a graça. Hoje eu posso dizer que eu vivo uma vida maravilhosa", afirma Leonardo Matos
Nascer em um lar cristão nem sempre livra os jovens de vivenciar as piores e inimagináveis experiências que o mundo pode proporcionar.

E mesmo não tendo o perfil usualmente imaginado do que venha ser um viciado, o então adolescente de 13 anos Leonardo Matos, entrou de cabeça no mundo das drogas, tornando-se escravo dos mais terríveis vícios que jovens e até adultos estão propensos a enfrentar. O agora pastor formado em teologia contou ao programa Prova Viva, da Rede Super de Televisão toda a sua história de viciado, dos 13 aos 18 anos, até a sua conversão.

Ex-traficante, Leonardo revela que fumou seu primeiro cigarro de maconha para tentar preencher o vazio de seu coração após diversas crises familiares. “Não tivemos uma boa base bíblica e quando as crises familiares vieram, a minha família se desestruturou. Foi quando aos 13 anos, em uma ausência da minha mãe, levei alguns amigos para casa e um dos amigos tirou um cigarro de maconha e eu que já tinha experimentado a bebida alcoólica pensei então que a maconha poderia saciar a minha vontade”, disse.

Leonardo conta que passou a fumar com frequência até que, aos 14 anos, experimentou crack pela primeira vez. “Quando eu vi, já estava vendendo quilos de maconha. Passei para cocaína, para o ecstasy e muitas outras drogas sintéticas até começar a vender cartelas de LSD e pacote de ecstasy, tanto para o meu uso como para o uso dos meus amigos”, revelou.

Mesmo com as drogas o vazio continuava. Foi quando a sua mãe decidiu afastar o filho das más companhias fazendo-o se mudar de uma pequena cidade no interior de Minas Gerais para a capital Belo Horizonte. Ainda assim o vazio teimava em continuar em seu coração.

Mudança de vida
Leonardo frequentou terapia e chegou a ser levado pela polícia algumas vezes até ser convidado, já aos 18 anos, para uma reunião em uma casa onde, depois de muito tempo, voltou a ouvir do evangelho. “Eu tinha todos os sinais de que precisava de ajuda. E foi nesse ambiente que escutei pela primeira vez que Jesus me amava e que tinha um plano para minha vida, que eu pequei e que os meus pecados me impedem de escutar do amor de Deus para mim”, confessou.
E foi naquele momento que Leonardo decidiu entregar a sua vida para Jesus e convidar Cristo para entrar em seu coração. “Ele entrou e finalmente me preencheu, me saciou. Foi aí que comecei a perceber algo diferente. Foi lendo a Bíblia e sendo discipulado que eu percebi que todos os meus valores haviam sido transformados”, confidenciou.