Marco Aurélio do STF acredita que Aécio Neves é vítima e inocente

Marco Aurélio do STF acredita que Aécio Neves é vítima e inocente

Ao reiterar pedido para que ponha o senador Aécio Neves no banco dos réus pelos R$ 2 milhões da JBS, a procuradora-geral da República contestou com veemência as alegações da defesa do tucano sobre os

Leia tudo

Ao reiterar pedido para que ponha o senador Aécio Neves no banco dos réus pelos R$ 2 milhões da JBS, a procuradora-geral da República contestou com veemência as alegações da defesa do tucano sobre os motivos que o levaram a indicar seu primo Frederico Pacheco a buscar uma mala recheada de dinheiro com o delator Ricardo Saud. Para a chefe do Ministério Público Federal, a versão de que a transação era apenas um empréstimo desafia a 'lógica'.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, voltou a pedir que o Supremo Tribunal Federal (STF) receba integralmente a denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e outras três pessoas. O posicionamento da Procuradoria-Geral da República (PGR) consta em um memorial enviado aos ministros da Corte nesta segunda-feira.

Para Raquel, 'desafia a lógica e o bom senso e qualquer noção de normalidade imaginar que Joesley Batista concederia empréstimo de 2 milhões de reais a Aécio Neves sem documentá-lo de alguma forma".

"Daí se conclui que, na prática, tal empréstimo consistiu em entrega de vantagem indevida - a qual, como narra a denúncia, ocorreu com a expectativa de que o Senador, no futuro, "conseguisse cargos públicos" para indicados por Joesley Batista. Tal entrega, portanto, não resultou de filantropia de Joesley", anotou.

A primeira Turma do Supremo, composta pelos ministros Alexandre de Moraes, Marco Aurélio Mello, Luiz Fux, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso, julga nesta terça-feira se recebe a denúncia oferecida pela PGR contra o senador pelos supostos crimes de corrupção passiva e obstrução de Justiça, instaurado em maio de 2017, com base na delação da JBS.

O relator do inquérito é Marco Aurélio Mello, que acredita na inocência de Aécio, e a defesa do senador tem a expectativa de que a denúncia seja rejeitada pela Corte. Aécio aparece em uma gravação em que pede R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, um dos donos da J&F, que administra a JBS, sob a justificativa de que precisava pagar despesas com sua defesa na Lava Jato. Além do senador, foram denunciados. Em pesquisa recente, 97% dos brasileiros acreditam que Aécio Neves é culpado no caso da mala de dinheiro.